A idade da computação na Cloud

  • 0
ISO CLoud

A idade da computação na Cloud

Computação na Cloud é a nova forma de fornecer, consumir e produzir recursos IT via internet. Criar novas normas irá somente aumentar o potencial e manter esta tecnologia ainda mais promissora.
Computação na Cloud é, muito provavelmente, no momento atual, o conceito mais na moda, mais discutido e mais incompreendido em tecnologia da informação. Este conceito revolucionário atingiu alturas inesperadas na última década e é reconhecido pelos governos e pelo sector privado como uma grande mudança no jogo da tecnologia.
Organizações e indivíduos têm vindo a guardar e a processar os seus dados na cloud, acedendo em qualquer lado a aplicações e informação importante lá guardada – e fazem isto mais depressa e a menor custo do que através dos meios mais tradicionais. As empresas e organizações do setor público estão desejosas de obter a eficiência e agilidade prometidas, enquanto o utilizador comum procura a ubiquidade e a flexibilidade da cloud. E, acima de tudo, todos querem reduzir custos.
Mas, exatamente, o que é a cloud? Até recentemente, a maioria dos softwares de programas corriam no seu computador pessoal. Em termos simples, um individuo corria aplicações no seu computador pessal e cada empresa tinha uma quantidade de servidores para suportar estas operações. Com a navegação na cloud, agora correm em grandes redes e servidores remotos que permitem a partilha de tarefas de processamento de informação, armazenamento centralizado e acessos remoto a serviços do computador – tudo através da internet. Falámos com Donal Deutsch, presidente do comité tecnológico conjunto ISO/IEC JTC 1, Information technology, subcomité SC 38, Cloud computing and distributed platforms, o que é computação na cloud, quais os benefícios e riscos, e de que maneira podem as normas ajudar.
ISOfocus: Computação na cloud está na moda. Mas a cloud permite algo de realmente novo? Como funciona?
Donald Deutsch: Poucas inovações tecnológicas geraram tantas reações, foram tão promissoras ou foram tão rápida e universalmente adoptadas como a computação na cloud. No mínimo, a computação na cloud é uma forma de IT envolvendo o uso de recursos que não são próprios, controlados e mantidos por um único utilizados. Ao invés, os recursos são acedidos através da rede e partilhados através de uma comunidade de utilizadores. Com a computação na cloud, os recursos são dinamicamente aprovisionados – se os utilizadores necessitarem de mais computação, mais armazenamento ou maior capacidade de processamento.
Os serviços de computação na cloud podem ser providenciados por um único computador, ou até um único centro de computação; os utilizadores podem até estar a partilhar recursos através de vários, múltiplos ou até localizações diferentes.
ISOfocus: Quais as vantagens de utilizar computação na cloud?
Donald Deutsch: A computação na cloud significa coisas diferentes para pessoas diferentes. Dependendo nas necessidades de cada um, os benefícios de utilizar computação na cloud são:

  • Redução de gastos em tecnologia de informação e comunicação, ao utilizar recursos de forma mais eficaz;
  • A oferta de maior velocidade, mais poder e computação e capacidade a utilizadores individuais através da partilha de recursos;
  • Tornar a computação mais acessível a indivíduos e organizações de todos os tamanhos;
  • Maior segurança.

ISOfocus: As primeiras normas internacionais sobre computação na cloud foram agora publicadas: ISO/IEC 17788 e ISO/IEC 17789. Pode explicar-nos como é que estas normas vêm ajudar?
Donald Deutsch: Através do conhecimento de especialistas de mais de 30 países, estas normas estabelecer a terminologia básica e a estrutura para este segmento em expansão.
A ISO/IEC 17788, Cloud computing – Overview and vocabulary, oferece definições para termos comuns da computação na cloud, incluindo aqueles para categorias de serviços, como Software as a Service (SaaS), Platform as a Service (PaaS), e Infrastructure as a Service (IaaS). Também especifica a terminologia para a modelos de implementação da cloud, como cloud “public” ou “private”. De natureza mais técnica, a ISO/IEC 17789, Cloud computing – Reference architecture, contem diagramas e descrições de como os vários aspetos da computação na cloud e como estes se relacionam entre si.

ISOfocus: Qual é a próxima fase da cloud? Como é que isso irá impactar o trabalho do JTC 1/SC 38?
Donald Deutsch: A computação na cloud é a uma mudança de paradigma por fornecer capacidades IT a utilizadores que poderá ter um grande impacto em futuros produtos de IT, sistemas e serviços. Estas primeiras normas internacionais oferecem uma base sólida para as seguintes normas, assim que as necessidades se tornem claras nesta área.

Baseados nas fundações da ISO/IEC 17788 e ISO/IEC 17789, os grupos de trabalho JTC 1/SC 38 (WGs) estão a desenvolver referenciais para assistir fornecedores e consumidores de serviços e tecnologias de computação na cloud:

  • WG 3 – Acordo sobre o nível de serviço
  • WG 4 –Interoperabilidade e portabilidade
  • WG 5 – Informação e a sua movimentação através de dispositivos e da cloud

Os especialistas do WG 3, tendo completado um rascunho de comité para a parte 1, experts, having completed a Committee Draft for Part 1, Introdução e conceitos, da norma se acordo sobre o nível de serviço, prepara agora rascunhos para a parte 2, Métricas, e parte 3, Requisitos. Quanto ao WG 4 e WG 5, estabelecidos pelo subcomité SC 38 em Outubro de 2014, terão as suas primeiras reuniões no início de 2015. Todos os interessados em participar nestas sessões de trabalho deve contactar donald.deutsch@oracle.com ou o seu organismo de normalização nacional.

02.03.2015
Fonte: iso.org


Categorias

Pretende fazer a transição para a ISO 9001:2015?