Identificador Internacional Normalizado para Bibliotecas

  • 0
bibliotecasnorma

Identificador Internacional Normalizado para Bibliotecas

Tags : 

A comunicação e a partilha de recursos entre bibliotecas e organizações relacionadas, incluindo arquivos, museus, organismos oficiais, estabelecimentos de ensino e empresas, têm aumentado drasticamente. Esta nova forma de colaboração criou a necessidade de um identificador estruturado e normalizado para as organizações, em especial para as bibliotecas.

Devido, e, grande parte à implementação de normas comuns que especificam os formatos para troca de informações no seio de bibliotecas, arquivos e museus, milhões de registros bibliográficos estão, agora, disponíveis para os utilizadores de todo o mundo através da Internet, em catálogos coletivos, em arquivos e museus e através de outros sistemas de informação cooperativos, ou ligados, no todo em parte, por serviços de internet secundários.

Ligados aos registos descritivos, os dados relativos à identificação das coleções fornecem acesso direto a registos, a substitutos dos documentos noutros suportes, a documentos de arquivo e objetos e aos serviços oferecidos por bibliotecas, arquivos, museus e organizações relacionadas.

Um identificador normalizado para a fonte de origem ou detentora facilitará eficazmente o acesso a esta informação.

O IPQ acabou de editar a NP ISO 15511:2018 – “Informação e documentação. Identificador Internacional Normalizado para Bibliotecas e Organizações Relacionadas (ISIL)”, que utiliza uma estrutura flexível que tanto pode acomodar identificadores já existentes como servir para criar identificadores.

Esta estrutura comum permitirá a colaboração entre organizações de um mesmo setor e de setores relacionados.

Um ISIL identifica uma organização, ou uma das suas unidades subordinadas, ao longo de toda a sus existência. Em alguns casos, como quando uma organização sofre uma mudança administrativa significa (p. ex. uma fusão com outra organização), especialmente se dela resulta uma alteração do nome, pode ser atribuído um novo identificador ISIL.

Uma vez que a presente Norma permite a incorporação no ISIL de códigos já existentes, é possível que uma dada organização possa ter mais de um ISIL. No entanto, é intenção desta Norma minimizar o número de códigos.

Esta Norma foi elaborada no âmbito da Comissão Técnica 7 – Informação e Documentação, cuja coordenação é efetuada pelo Organismos de Normalização Setorial – Biblioteca Nacional de Portugal.

 

10.05.2018
Fonte: Newsletter Espaço Q nº142, abril de 2018


Categorias

Pretende fazer a transição para a ISO 9001:2015?