Marcado de bens em segunda mão recebe uma nova norma ISO para proteger os consumidores

  • 0
secondhandmarket

Marcado de bens em segunda mão recebe uma nova norma ISO para proteger os consumidores

Tags : 

A economia de artigos em segunda mão está a crescer exponencialmente, com cada vez mais consumidores a comprarem bens usados. Como podemos ter certeza de que um berço em segunda mão que comprámos não causará ferimentos ou danos? A compra de produtos usados pode trazer sua quota parte de más surpresas, mas uma nova Norma Internacional ajuda a garantir que esses tesouros usados não coloquem a sua família em perigo.

Diz-se que mais vale prevenir do que remediar. Isto é particularmente verdadeiro no mercado de bens em segunda mão, onde um consumidor informado irá fazer compras mais seguras. É importante estar ciente do risco potencial de comprar artigos usados e das precauções necessárias para não ser enganado.

Rae Dulmage, presidente do Comité de projetos ISO/PC 245, Cross-border trade of second-hand goods, explica que algumas perguntas inteligentes podem ajudar a decidir se vale ou não a pena comprar um produto. “Para que vou usá-lo? Quanto tempo espero que dure? Não é suficiente alguém dar-lhe a sua palavra, “diz ele,” verifique o que se esconde sob o capô. Mais importante, compre a um revendedor respeitável que sabe o que está a vender. E aplique os princípios da ISO 20245”.

A recém-publicada ISO 20245:2017, Cross-border trade of second-hand goods, fornece um importante ponto de referência para os governos na intensificação de esforços para estabelecer critérios mínimos de seleção para o comércio de bens de segunda mão entre países. É a primeira Norma Internacional de bens comercializados, vendidos, doados ou trocados entre países. Isso é importante, pois ajuda a regular um mercado indisciplinado e desvia milhares de toneladas de materiais indesejados dos aterros sanitários.

No Canadá, o mercado de bens usados e em segunda mão cresceu de mil milhões de dólares canadianos (CND) em 2015, para cerca de 29 mil milhões de CND em 2016, de acordo com um relatório de 2017 acerca da economia de bens em segunda mão, publicado pelo site de anúncios classificados Kijiji. E o Canadá não está sozinho.

O comércio de bens em segunda mão continua a crescer a cada ano que passa, particularmente nos países em desenvolvimento e nos países com economias transitárias. Os utilizadores finais que compram estes produtos esperam que sejam seguros, sem defeitos e que durem um tempo razoável, mesmo sendo em segunda mão.

Como qualquer produto comprado na fábrica, os bens usados devem ir ao encontro das expectativas de um consumidor razoável, que tenha pleno conhecimento do estado de conservação em que os itens em segunda mão se encontram. Isso significa que devem cumprir os critérios de aceitação em termos de qualidade, informação do produto e requisitos de uso, com detalhes adicionais sobre sua condição.

A nova ISO 20245 especifica como avaliar e classificar os produtos num ranking com base na sua condição: A (muito bom), B (bom), C (justo) e D (fraco). Estes critérios mensuráveis têm o objetivo de serem utilizados por importadores, exportadores, ou governos, para o rastreamento de bens em segunda mão em trânsito e no porto de entrada, garantindo que tanto os consumidores como o meio ambiente sejam protegidos.

Rae Dulmage espera que as práticas de comercialização de bens em segunda mão, contidas na ISO 20245, se tornem universalmente aplicáveis e disponíveis. “Se os países impuserem os requisitos da ISO 20245 como parte dos seus regulamentos de importação, as organizações irão integrá-los nas suas práticas de compras e processamento, e as instituições de caridade farão delas uma característica base das suas operações, com os produtos inseguros e não confiáveis a serem gradualmente retirados do mercado e eliminados da melhor forma.”

E quanto aos consumidores, diz ele, a ISO 20245 irá ajudar a garantir que consigam produtos em segunda mão seguros e úteis, que proporcionam uma boa relação custo/benefício.

A ISO 20245:2017 foi desenvolvida pelo comité de projeto ISO/PC 245, Cross-border trade of second-hand goods. A Presidência é atualmente detida pela SCC, membro da ISO do Canadá, sob um acordo de geminação com o SAC, membro da ISO da China, que detém o secretariado.

A ISO 20245: 2017 pode ser comprada no seu membro nacional ISO ou através da loja ISO.

 

09.01.2018
Fonte: iso.org


Categorias

Pretende fazer a transição para a ISO 9001:2015?