Quando algumas das maiores empresas do mundo avaliam os riscos climáticos para os seus negócios em perto de 1 bilião de dólares, o impacto das alterações climáticas não pode ser ignorado. Os negócios necessitam de se adaptar, pelo que uma nova Norma Internacional foi agora desenvolvida para ajudar nesse processo.

Clima extremo, temperaturas altas e emissões de gases de efeito de estufa, são aspetos do nosso clima em mudança que podem ter impacto direto sobre os negócios. Mas também podem criar oportunidades. Um relatório recentemente lançado pelo United Nations Framework Convention on Climate Change (UNFCCC), mostrou que o grupo das maiores empresas do mundo, avaliadas coletivamente em quase 17 biliões de dólares americanos, estimaram que o custo dos riscos colocados aos seus negócios pelas mudanças climáticas situa-se em 1 bilião de dólares americanos. Por outro lado, estimaram que os potenciais ganhos a partir de oportunidades de negócio se fixe em mais do dobro desse valor.

Consequentemente, ter planos robustos para adaptação às mudanças climáticas é essencial para o sucesso dos negócios.

A ISO 14090, Adaptação às mudanças climáticas – Princípios, requisitos e orientações, é a primeira de um conjunto de normas ISO nesta área e visa ajudar as organizações a avaliar os impactos das mudanças climáticas e a criar planos para uma adaptação efetiva. Ajudará a identificar e gerir riscos, assim como a aproveitar quaisquer oportunidades que as alterações climáticas possam trazer.

Oferece uma estrutura que permite que as organizações tenham as mudanças climáticas em conta ao definirem e implementarem políticas, estratégias, planos e atividades.

John Dora, Co-Coordenador do grupo de trabalho que desenvolveu a norma, disse que as alterações climáticas, tais como clima imprevisível e alterações nas temperaturas, podem ter um impacto significativo sobre a atividade de uma organização, caso esta não esteja devidamente preparada, causando danos na infraestrutura ou disrupções no seu negócio. “Compreender os impactos climáticos não é algo restrito àqueles que implementam ações para o clima. As decisões organizacionais são feitas com base em riscos e oportunidades, o que significa que compreender a resiliência é algo fundamental ao longo de toda a cadeia de valor, assim como nas compras, investimentos e seguros.”

Liang Sun, o outro Co-Coordenador, adicionou: “A ISO 14090 irá permitir às organizações uma avaliação e preparação para os impactos climáticos, tornando-as mais resilientes. Também as ajudará a detetar eventuais oportunidades para maximizarem a utilização dos recursos ou novas fontes de receita.”

A nova norma ISO é útil para todos os tipos de organizações, independentemente de terem ou não planos de adaptação em andamento. A implementação também permite aos utilizadores contribuírem diretamente para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas sobre ação climática (nomeadamente o ODS 13).

A ISO 14090 foi desenvolvida pelo grupo de trabalho 9 do comité técnico ISO/TC 207, Gestão Ambiental, subcomité 7, Gestão de gases de efeito de estufa e atividades relacionadas, cujo secretariado é detido conjuntamente pela SAC, membro ISO para a China, e pela SCC, membro ISO para o Canadá.

Pretende-se que seja a norma global para a adaptação às alterações climáticas e o comité também está a trabalhar na aprovação de outras normas que fornecerão orientações adicionais. Estas incluem a ISO 14091, Adaptação às alterações climáticas – Vulnerabilidade, impactos e gestão de risco, e a ISO 14092, Gestão de gases de efeito de estufa e atividades relacionadas: requisitos e orientações para planeamento de adaptação para organizações incluindo governos locais e comunidades.

A ISO 14090 está disponível a partir do seu membro ISO nacional ou através da Loja ISO.

 

16.07.2019
Fonte: iso.org