Gestão do Risco

  • 0
gestãodoriscocraveira

Gestão do Risco

Tags : 

As organizações de todos os tipos e dimensões enfrentam fatores externos e internos e influências que criam incerteza sobre a consecução dos seus objetivos.

A gestão do risco é iterativa e ajuda as organizações na definição da estratégia, na consecução dos objetivos e na tomada informada de decisões. Ela é parte da governação e liderança e é fundamental para o modo como a organização é gerida a todos os níveis, contribuindo para a melhoria dos sistemas de gestão.

O IPQ acabou de editar a NP ISO 31000:2018, versão tecnicamente revista da ISO 31000:2013 e cujas principais alterações à edição anterior, são as seguintes:

  • Revisão dos princípios da gestão do risco, que são critérios chave para o seu sucesso;
  • Evidenciação da liderança pela gestão de topo e da integração da gestão do risco, começando pela governação da organização;
  • Maior ênfase na natureza iterativa da gestão do risco, tendo em conta que experiências, conhecimento e análises suplementares podem levar à revisão de elementos, ações e controlos em cada fase do processo;
  • Otimização do conteúdo para maior foco na sustentação de um modelo de sistemas aberto para adequação a múltiplas necessidades e contextos.

A gestão do risco é baseada nos princípios, estrutura e processo descritos na figura abaixo. Estes componentes poderão já existir, total pu parcialmente na organização. No entanto, poderão ter de ser adaptados ou melhorados para que a gestão do risco seja eficiente, eficaz e consistente.

figura1gestãodorisco

A presente norma foi elaborada pela CT 180 – “Gestão do Risco”, coordenada pelo Organismo de Normalização Setorial APQ – Associação Portuguesa para a Qualidade.

Para mais informações, por favor leia a Brochura “Gestão do Risco” aqui.

 

02.05.2018
Fonte: Newsletter Espaço Q nº142, abril de 2018


Categorias

Pretende fazer a transição para a ISO 9001:2015?