A importância de enquadrar a “cloud” (nuvem) no contexto empresarial

  • 0
Cloud ISO

A importância de enquadrar a “cloud” (nuvem) no contexto empresarial

Tags : 

Se para si, esta tendência de utilizar a “cloud” lhe parece um pouco nebuloso ou confuso, respire fundo pois não está sozinho! Muitas empresas que optam por estes serviços acabam com complicadas e múltiplas implementações de “clouds” que se tornam incontroláveis. Estes são sistemas complexos com falhas complexos, que estão em necessidade urgente de sistematização. Felizmente, duas novas normas ISO/IEC foram criadas para colocar um pouco de ordem no caos que a “cloud” se torna para algumas empresas.
O céu é o limite para a utilização da “cloud”, que parece determinada a mudar a indústria informática por completo. Este conceito revolucionário atingiu altitudes inesperadas na última década e é reconhecida por governos e organizações do setor privado como a principal grande mudança na tecnologia.

Mas o que é a “cloud” exatamente? Até recentemente, a maioria dos programas de software funcionavam apenas nos computadores pessoais. Com a “cloud”, estes podem ser utilizados por todos através de grandes redes de servidores remotos que permitem a partilha de tarefas de processamento de dados, armazenamento centralizado e acesso online a serviços de informática – em toda a Internet.

Para além da sua definição técnica, a “cloud” tem uma série de benefícios. Ao maximizar a eficácia dos recursos compartilhados, esta permite otimizações em diversas escalas, permitindo mesmo reduções, como por exemplo na rede de eletricidade.

Ordem no caos

No entanto, a “nuvem”, como é conhecida, apresenta muitos problemas, principalmente relacionados com a compatibilidade. Com mais e mais fornecedores que oferecem serviços baseados nesta tecnologia, esta tem sofrido um desenvolvimento caótico, o que torna quase impossível para as empresas verificar a qualidade dos serviços oferecidos.

Dirigindo-se ao problema, o comitê técnico JTC 1/SC 38, em colaboração com a União Internacional de Telecomunicações, acaba de lançar duas normas internacionais fundamentais para a tecnologia em formato “cloud”. Com base no conhecimento de especialistas de mais de 30 países, os padrões inovadores estabelecem a terminologia básica e estrutura arquitectónica para esta indústria em expansão.

ISO / IEC 17788, Cloud computing – Descrições e vocabulário, fornece definições relativas aos termos de computação em “cloud” comum, inclusive para as categorias de serviços em “cloud”, como Software as a Service (SaaS), Platform as a Service (PaaS), and Infrastructure as a Service (IaaS). Também especifica a terminologia para os modelos de implementação, como “público” e “privado”. Mais de natureza técnica, a ISO / IEC 17789, Cloud computing – arquitetura de referência, contém diagramas e descrições de como os vários aspectos da informática em “cloud” se relacionam entre si.

O caminho a seguir

“A informática em “cloud” é uma mudança de paradigma para fornecer recursos de IT para os usuários que podem afetar uma grande quantidade de produtos de IT futuro, sistemas e serviços”, disse Dr. Donald Deutsch, presidente da ISO/IEC JTC 1/SC 38.
“Estas primeiras normas internacionais relacionadas com a “cloud” fornecem uma base sólida para as próximas normas tornando as necessidades desta área mais claras.”

Como que para confirmar a situação, a JTC 1/SC 38 já está a testar uma série de projetos em áreas como os acordos de nível de serviço; interoperabilidade e portabilidade; dados e fluxo através de dispositivos e serviços em “cloud”.

E se gerir o seu negócio na “cloud” lhe parece perigoso, JTC 1 subcomissão SC 27, que se concentra em questões de segurança, está a trabalhar em vários projetos que se baseiam nos fundamentos estabelecidos por estes dois novos padrões.

Fonte (texto e imagem): iso.org

Categorias

Pretende fazer a transição para a ISO 9001:2015?