Segurança Alimentar: valores limites de conservantes em alimentos

  • 0
iso_22000_icon

Segurança Alimentar: valores limites de conservantes em alimentos

Tags : 

Substâncias indesejáveis nos alimentos são motivo de grande preocupação entre os consumidores. Segundo uma pesquisa recentemente realizada pela TÜV SÜD, 34% dos entrevistados referem que o maior risco de nutrição se deve aos conservantes. Este é um bom exemplo da divergência de opinião entre o público e especialistas na avaliação dos perigos alimentares.

De acordo com 34% dos entrevistados pela TÜV SÜD, a sua principal preocupação relativamente aos perigos alimentares, derivam de conservantes como os corantes artificiais, 28% estão mais preocupados com os alimentos em mau estado, como por exemplo o bolor, enquanto que para 26% dos inquiridos, o que mais os preocupa são os organismos patogénicos como a salmonella. Os profissionais admitem que a deterioração de alimentos por bolor ou organismos patogénicos podem representar um grande risco para a saúde humana, especialmente no verão devido às altas temperaturas que se fazem sentir. Outro dos perigos alimentares que afeta a saúde humana é levar um estilo de vida pouco saudável, onde não se pratica exercício físico e são ingeridas muitas calorias.

É evidente que os alimentos, para além de conterem ingredientes e nutrientes podem ainda conter substâncias indesejáveis que entram em contacto, muitas vezes e inevitavelmente na produção, armazenamento ou transporte. Com a finalidade de proporcionar a máxima proteção ao consumidor, a União Europeia dispõe de legislação rigorosa, políticas e medidas preventivas.

Antes de se aprovar o uso de conservantes ou outras substâncias nos alimentos, são testados valores limites e quantidades máximas dos mesmos. Segundo o departamento de segurança alimentar da TÜV SÜD “Para avaliar os perigos que estas substâncias podem provocar na saúde e calcular os seus valores limites de utilização, são analisados dados de fontes científicas e oficiais. Os dados são importantes para definir níveis de ingestão livres de reações indesejáveis. Este nível é muitas vezes reduzido a um fator de segurança de 100, resultando assim na quantidade tolerável de conservantes, que permitem o seu consumo diário, sem danos prejudiciais para a saúde.” Este valor é conhecido como Dose Diária Recomendada (DDR).

Tanto as autoridades do setor alimentar, como produtores e laboratórios tomam as devidas medidas a ameaças aos valores limites estipulados, mesmo não sendo muito danoso para a saúde.

A informação nutricional é importante, principalmente para as pessoas que sofrem de alergias. A informação nutricional deve ser ordenada pela quantidade de componentes, pelo que os conservantes devem encontrar-se no final da lista. Os consumidores podem evitar produtos com corantes artificiais analisando a tabela nutricional. Ao analisar a informação nutricional, verifica-se que os corantes artificiais deixaram de ser utilizados, sendo substituídos por corantes alimentares com as mesmas propriedades (nomeadamente paprica, pó de beterraba, etc.) ou por aditivos de fontes naturais. No verão recomenda-se que prefira alimentos frescos, evitando assim conservantes artificiais.

Fonte: infocalidad.net


Categorias

Pretende fazer a transição para a ISO 9001:2015?